Pular para o conteúdo principal

TV Brasil celebra Luiz Carlos Barreto e exibe mostra de filmes


Em homenagem à trajetória cinematográfica do consagrado diretor Luiz Carlos Barreto, a TV Brasil apresenta uma série de filmes da produtora L.C. Barreto, que completa seis décadas de atividades este ano, e exibe uma edição especial do programa Cine Resenha com a presença do cineasta e de sua esposa, a ilustre produtora Lucy Barreto.

O casal bate um papo com a apresentadora Priscila Rangel sobre clássicos do Cinema Novo e revelam histórias marcantes sobre grandes produções da sétima arte brasileira. Em 2003, Barretão comemora 95 anos, enquanto Lucy festeja 90. Ao fim da conversa, o público assiste, na íntegra, o longa "Dona Flor e seus Dois Maridos" (1976).

A mostra temática com clássicos do cinema nacional começa a exibição do histórico longa-metragem dirigido por Bruno Barreto e baseado na obra homônima de Jorge Amado. A trama é estrelada pela diva Sônia Braga que divide a cena com os atores José Wilker e Mauro Mendonça.

A premiada produção é uma das maiores bilheterias brasileiras de todos os tempos. Fenômeno de público no circuito, o filme foi o primeiro a superar a marca de mais de 10 milhões de espectadores nas salas do país. Com o sucesso, a película se manteve como a líder de público por mais de 30 anos. A história acompanha uma professora viúva do malandro Vadinho que se casa com um pacato farmacêutico.

"Dona Flor divide o cinema brasileiro em antes e depois. Foi a prova de que o Brasil tem capacidade de produzir filmes de interesse internacional do ponto de vista artístico e comercial. Abriu o mercado americano e o europeu não só de cinema, como também de televisão", afirma Luiz Carlos Barreto.

A sessão especial da emissora pública também inclui outros sucessos das telonas: "Bye Bye Brasil" (1979), de Cacá Diegues, na sexta (3), às 21h; "Garrincha, Alegria do Povo" (1962), de Joaquim Pedro de Andrade, no sábado (4), às 14h; e "O Quatrilho" (1995), de Fabio Barreto, no domingo (5), às 14h.

Nos próximos dias, o canal também apresenta outras obras como os dramas "O Beijo Asfalto" (1980) e "O Que é Isso, Companheiro?" (1997), ambos de Bruno Barreto, e o documentário "Isto é Pelé" (1974), de Eduardo Escorel e Luiz Carlos Barreto.


Conversa sobre bastidores e perspectivas do cinema nacional

Durante a entrevista para a apresentadora Priscila Rangel, Luiz Carlos Barreto e Lucy Barreto recordam o primeiro contato profissional com o cinema, mencionam a participação em grandes produções nacionais, destacam a influência de grandes parceiros como Nelson Pereira dos Santos e Glauber Rocha.

Luiz Carlos Barreto assinou a fotografia de dois clássicos do Cinema Novo: Vidas Secas (1963) e Terra em Transe (1967). Barretão e Lucy contam histórias curiosas sobre as produções de filmes como "Dona Flor e seus Dois Maridos", "Bye Bye Brasil" e "O Beijo no Asfalto", entre outras.

No papo, os veteranos também explicam o fascínio da família pela sétima arte. Os filhos Bruno e Fabio Barreto se tornaram importantes cineastas. A produtora L.C. Barreto é responsável por mais de 150 títulos, entre filmes de ficção, documentários e programas de televisão.

A experiência de concorrer ao Oscar é outro destaque do programa. Eles contam sobre como foi disputar a estatueta da Academia na categoria Melhor Filme Estrangeiro com "O Quatrilho" (1995), de Fabio Barreto, e "O Que é Isso, Companheiro?" (1998), de Bruno Barreto. Os convidados ainda discutem o orçamento do cinema brasileiro.

Com bom-humor, Luiz Carlos Barreto ainda revela a origem do apelido Barretão. A alcunha foi concebida por Nelson Pereira dos Santos e o jornalista Ancelmo Gois ajudou a popularizar o nome pelo qual o querido diretor é carinhosamente chamado.

Lucy analisa como a L.C. Barreto se mantém por tanto tempo no mercado. Também conta sobre as homenagens que a produtora vai receber em grandes festivais de cinema como Cannes. Ela ainda fala sobre a importância desse reconhecimento para a sétima arte nacional. "É o valor que é dado à produção brasileira. O cinema vende a paisagem, a música, a comida, a vestimenta; enfim a cultura do país", cita.

Luiz Carlos Barreto ainda fala sobre a perspectiva para o futuro do cinema brasileiro. Ao projetar sobre o tema, ele aborda assuntos latentes sobre o presente da indústria audiovisual e ressalta a importância de se fiscalizar a cota de tela para equalizar a concorrência entre os produtores de conteúdo.

"A indústria do audiovisual e do cinema, além do seu fator comercial, é formadora de hábitos e costumes", pontua o diretor Barretão que ainda discute a capacidade de produção das emissoras públicas do país.


Trama da comédia "Dona Flor e seus Dois Maridos"

TV Brasil apresenta a primeira adaptação do romance de Jorge Amado "Dona Flor e seus Dois Maridos" para o audiovisual, lançado em 1976, com a atriz Sônia Braga no papel principal. O elenco ainda tem José Wilker, como Vadinho, e Mauro Mendonça, como Teodoro.

O filme nacional ganhou dois Kikitos no Festival de Gramado nas categorias Melhor Diretor e Melhor Trilha Sonora. O longa-metragem dirigido por Bruno Barreto ainda foi indicado ao BAFTA, na categoria Melhor Revelação (Sônia Braga), e ao Globo de Ouro, na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

No início dos anos 1940, em Salvador, a sedutora professora Dona Flor (Sônia Braga) é casada com o mulherengo Vadinho (José Wilker) que só quer saber de farra e jogatina até altas horas nas boates da cidade.

A vida repleta de abusos e noites em claro leva o malandro à morte precoce em um domingo de Carnaval de 1943. Viúva, Dona Flor fica inconsolável. Apesar dos inúmeros defeitos, Vadinho era um excelente amante.

Em pouco tempo, a jovem se casa de novo, com o recatado e pacífico farmacêutico da cidade. Teodoro Madureira (Mauro Mendonça) é exatamente o oposto do primeiro marido. Dona Flor passa a ter uma vida mais estável e tranquila, porém entediante.

Com saudades do falecido, Dona Flor acaba provocando a volta dele em espírito que só ela enxerga. De tanto "chamar" por Vadinho, um dia o fantasma do amado aparece nu para ela na cama. Seduzida pelo finado esposo, a mulher fica em dúvida sobre o que fazer com os dois maridos que dividem o seu leito.


Ficha técnica Cine Resenha 

Apresentação: Priscila Rangel 

Direção: Zeca Ferreira 

Roteiro: Paulo Fernandes 

Produção: Gustavo Sá Fortes 

Coordenação: Waldecir de Oliveira


Ficha técnica "Dona Flor e Seus Dois Maridos"  

País: Brasil. Ano: 1976. Gênero: comédia. Direção: Bruno Barreto. Elenco: Sônia Braga, José Wilker, Mauro Mendonça, Dinorah Brillanti, Nelson Xavier. Classificação indicativa: 18 anos. 118 min. Reprise.


Sobre o programa Cine Resenha

A cada segunda-feira, sempre às 21h, a apresentadora do Cine Resenha, Priscila Rangel, recebe diretores, produtores e críticos para um bate-papo sobre um filme, que será exibido na sequência. Ao apresentar produções cinematográficas nacionais premiadas, a TV Brasil amplia o espaço para o cinema brasileiro na sua programação.

Comentários

Mais lidas nos últimos dias

Confira a programação do SBT entre os dias 20 a 26 de maio

(Foto: Divulgação) Segunda-feira 06h00 PRIMEIRO IMPACTO 09h30 CHEGA MAIS 13h30 CARINHA DE ANJO cap. 56 14h30 TERESA cap. 85 15h30 CONTIGO SIM cap. 21 16h30 FOFOCALIZANDO 17h30 TÁ NA HORA 19h45 SBT BRASIL 20h30 A INFÂNCIA DE ROMEU & JULIETA cap. 271 21h15 AS AVENTURAS DE POLIANA cap. 76 22h00 PROGRAMA DO RATINHO 23h30 ARENA SBT 00h45 THE NOITE COM DANILO GENTILI 01h30 OPERAÇÃO MESQUITA 02h00 SBT PODNIGHT Flow 02h45 SBT NEWS NA TV Terça-feira 06h00 PRIMEIRO IMPACTO 09h30 CHEGA MAIS 13h30 CARINHA DE ANJO cap. 57 14h30 TERESA cap. 86 15h30 CONTIGO SIM cap. 22 16h30 FOFOCALIZANDO 17h30 TÁ NA HORA 19h45 SBT BRASIL 20h30 A INFÂNCIA DE ROMEU & JULIETA cap. 272 21h15 AS AVENTURAS DE POLIANA cap. 77 22h00 PROGRAMA DO RATINHO 23h00 CINE ESPETACULAR Filme: Agentes Vanguard - Inédito Elenco: Jackie Chan, Yang Yang e Miya Muqi Gênero: Ação 00h45 THE NOITE COM DANILO GENTILI 01h30 OPERAÇÃO MESQUITA 02h00 SBT PODNIGHT Inteligência Ltda. 02h45 SBT NEWS NA TV Quarta-feira 06h00 PRIME

Confira os filmes que serão exibidos no SBT entre os dias 20 a 26 de maio

Data: 21.5.2024 – Terça-feira Horário:  23h Título: Agentes Vanguard (Agents Vanguard – China/2020) – Imagem – Ação – 14 Anos (HD) (Inédito) Sinopse:  Tang Huanting é o chefe da agentes Vanguard, uma empresa chinesa de inteligência particular formada por militares aposentados, após salvar um casal da mira de traficantes de armas, o time de Tang corre para a África para proteger a filha do mesmo casal que atua lá como ativista contra caça ilegal. Elenco:  Jackie Chan / Yang Yang / Miya Muqi Direção:  Stanley Tong Data: 25.5.2024 – Sábado Horário:  16h15 Título:  Debi & Lóide 2 : Quando Debi Conheceu Lóide (Dumb & Dumberer: When Harry Met Lloyd - EUA/2003) – Warner – Comédia - Livre (HD) Sinopse:  Debi e Lóide são dois jovens "especiais" que se conhecem no colégio e se tornam grandes amigos. Ao perceber que eles são muito ingênuos, o maquiavélico diretor da escola arma um plano para atrair dinheiro do governo usando os dois como propaganda da sua

Plutão vence campeonato de Skate em 'Família é Tudo'

Foto: Globo/Manoella Mello A primeira competição de Plutão (Isacque Lopes), Max (Caio Vegatti) e Nicole (Aisha Moura) vai movimentar ‘Família é Tudo’. Em cenas que serão exibidas a partir de hoje, dia 21, os espectadores vão ser transportados para um STU – campeonato da modalidade – e a rivalidade entre Plutão (Isacque Lopes) e Max (Caio Vegatti) nas pistas começa a ser escrita. O neto caçula de Frida (Arlete Salles) conta com o apoio da família, com exceção de Júpiter (Thiago Martins) e Andrômeda (Ramille), que não dão o braço a torcer, quando o assunto é a união do clã. Na trama, Max sai na frente na primeira bateria e, ainda chateado com o término do namoro com Nicole, diz a Claudio (Robson Torinni) que sabotou o skate dela para prejudicar seu desempenho. Ao sofrer uma queda, sem entender o que pode ter acontecido, a menina fica arrasada e é consolada por Plutão. Depois, incentivado por Tom (Renato Góes) e Enéas (Conrado Caputo), o atleta faz uma apresentação que deixa o

TV Cultura transmite 500 Milhas de Indianápolis neste domingo (26/5)

Foto Joe Skibinski/INDYCAR Neste  domingo (26/5) , a  TV Cultura  transmite, ao vivo, a maior prova do automobilismo mundial: as  500 Milhas de Indianápolis . O Brasil marca presença na pista com  Pietro Fittipaldi , disputando a prova pela segunda vez, e  Hélio Castroneves , que tenta ser o primeiro pentacampeão da Indy 500. Vai ao ar a partir das  12h45 , com narração de  Geferson Kern  e comentários de  Dedê Gomez , no estúdio da Cultura, e  Bia Figueiredo  direto de Indianápolis. O piloto neozelandês Scott McLaughlin mostrou, no último domingo (19), por que a Indy 500 é considerada a corrida mais veloz do mundo na atualidade: cravou a pole position mais rápida da história, com uma velocidade média de 376,859 km/h ao longo das quatro voltas de classificação. A corrida em si já foi completada com média de 306 km/h nas suas 200 voltas. A prova também é reconhecida como a mais antiga do automobilismo. Foi disputada pela primeira vez em 1911, no Indianapolis Motor Speedway,

Em turnê para comemorar os 20 anos de carreira, renomado grupo Il Divo vem ao The Noite nesta terça-feira (21)

(Foto: Lourival Ribeiro/SBT) O renomado grupo internacional  Il Divo  está em turnê no Brasil em comemoração aos 20 anos de estrada. Dono de vozes e números impressionantes,  os estadunidenses David Miller e Steven LaBrie, o suíço Urs Bühler e o francês Sébastien Izambard vão estar no The Noite com Danilo Gentili, nesta terça-feira, 21 de maio , para demonstrar, mais uma vez, como combinam ópera e música clássica com pop de maneira incrível e falar a respeito do novo disco “XX”. “Surgimos em 2004 e não tínhamos ideia do que estávamos fazendo. Quem nos juntou foi o Simon Cowell, que disse: ‘Temos umas músicas aqui. O que vocês podem fazer com isso?’ Fizemos testes com 10 músicas, durante quatro meses, e em cada uma delas tentamos encontrar o equilíbrio entre a ópera e o pop. Algumas gravamos em três idiomas diferentes. Quando entendemos qual era o nosso estilo começamos a implementar esse processo e adaptá-las”, contam. Fazendo um estilo musical "Pop-Ópera", do gên